Conversa íntima

Cuidados após o parto

Imediatamente após o nascimento do bebê, de parto vaginal ou cesárea, a mulher experimenta os primeiros sinais de regressão das mudanças físicas da gravidez e as mamas começam a produzir leite. Esse tempo de recuperação dura até 6 semanas, período que se chama puerpério.

Logo após o parto, há uma perda de peso aproximada de 4,5 a 5 kg  devido a expulsão, no parto, do líquido amniótico, da placenta, do bebê e, também, devido a perda de sangue. Perde-se, ainda, mais 1,5 a 2 kg após 10 dias do parto, pela eliminação do líquido acumulado no corpo na forma de edema.

Durante a sua permanência na maternidade, que varia de 2 a 3 dias, aproveite para aprender os cuidados básicos que o seu bebê necessita, por exemplo, o banho, a troca de fraldas, etc, além da adaptação aos hábitos dele e o correto aleitamento.

Como o assunto é longo, vou dividi-lo em tópicos para que a leitura fique mais agradável:

1 – A dieta

Após um parto normal, comer e beber estão liberados. Já, depois de um parto vaginal com analgesia ou uma cesárea, a dieta está liberada apenas 6 horas após o parto.

Em casa, prefira alimentos ricos em fibras e evite comer açúcar em excesso, farinhas refinadas, gordura de origem animal, frituras e condimentos, porque é comum, nos dias seguintes ao parto, a prisão de ventre e o acúmulo de gases intestinais.

A mulher que amamenta sente mais fome e sede. Beba pelo menos 2 litros de água por dia, evite refrigerantes, prefira sucos de fruta naturais. Não tome bebidas alcoólicas.

Nenhum alimento prejudica a qualidade do leite materno, mas, alguns alimentos, quando ingeridos em excesso, podem provocar cólicas ou alergia no bebê, como, por exemplo, leite de vaca, café, chá preto, refrigerantes, ovos, amendoim, soja, trigo, peixe e frutas secas.

O obstetra costuma prescrever uma vitamina para tomar nos 3 primeiros meses após o parto.

2 – O vestuário

Use sutiã próprio para amamentação, de algodão, com alças largas e que sustente as mamas mantendo-as horizontalizadas e firmes, prevenindo a flacidez.

A cinta pode ser usada, mas seu uso não é obrigatório. A cinta não irá fortalecer a musculatura do abdome. Para isso, será necessário realizar exercícios físicos específicos, que serão comentados mais adiante. Recomenda-se começar seu uso 1 semana após o parto, quando há menos inchaço e a cinta não provocará desconforto.

3 – A higiene

O primeiro banho após o parto deve ser auxiliado pela enfermagem, pois é comum passar mal e até desmaiar devido à hipotensão (queda brusca da pressão arterial). Evite banhos muito quentes e demorados. Prefira banhos mornos a frios e breves.

Troque com frequência os absorventes íntimos.

Use o próprio leite materno para limpar os mamilos antes e depois das mamadas.

4 – A amamentação

Nos primeiros dias após o parto, as mamas produzem o colostro, de cor amarelada, que, além de alimentar o bebê, o protege de infecções, porque tem mais anticorpos que o leite materno. O colostro também auxilia no desenvolvimento do intestino do bebê.

Entre o 3º e 5º dias após o parto, o leite materno é produzido. Toda mulher é capaz de produzi-lo. A tranquilidade é fundamental para facilitar a produção de leite e a amamentação. Não existe leite fraco, e não é necessário dar água, chá ou suco para o bebê, mesmo no verão.

A sucção estimula a produção de leite materno. Quanto mais o bebê sugar, mais o leite será produzido. O uso de ocitocina nasal, 15 minutos antes das mamadas, e de metoclopramida (Plasil®) também ajudam a estimular a produção de leite materno.

Você pode amamentar sentada ou deitada. A melhor posição é a que traz maior conforto para você e o seu bebê. Use almofadas para ajudar (fig. 1, fig. 2 e fig. 3).

1

Fig. 1 – Posição sentada tradicional

2

Fig. 2 – Posição sentada modificada

3

Fig. 3 – Posição deitada

Inicie a amamentação pelo seio que você terminou de amamentar anteriormente. Faça o bebê esvaziar totalmente um seio para então oferecer a ele o outro.

Se uma ou ambas as mamas permanecerem com leite após a mamada, você deve esvaziá-las manualmente ou com o auxílio de uma bombinha de sucção própria para isso.

Se a mama ficar dura, dolorida, quente ou a pele ficar vermelha, faça compressas frias, massagem com movimentos circulares (fig. 4) e procure seu ginecologista.

4

Fig. 4 – Massagem com movimentos circulares

Uma boa pega evita o aparecimento de rachaduras nos mamilos. O bebê deve abocanhar a aréola e não o bico do seio, assim, o bico do seio fica dentro da boca do bebê (fig. 5).

5

Fig. 5 – Pega correta

É normal os mamilos estarem mais sensíveis e doloridos. É preciso mantê-los protegidos. Use protetores próprios para isso (fig. 6 e fig. 7). Os protetores também ajudam no tratamento das rachaduras nos mamilos.

6

Fig. 6 – Concha de silicone

7

Fig. 7 – Protetor de hidrogel

Se mesmo assim aparecerem rachaduras nos mamilos, o uso de pomadas cicatrizantes (Lanidrat®) e protetores de hidrogel (Mamare®) são recomendados. Não precisa parar de amamentar, exceto se tiver infecção. Procure seu ginecologista para orientação e tratamento adequados.

5 – As dores

Logo após o nascimento do bebê, o útero se contrai para evitar um sangramento excessivo. Essas contrações continuam nos dias seguintes e são percebidas como cólicas, que são mais intensas durante a amamentação.

As dores devidas à episiotomia (pequeno corte que é feito na vagina no parto normal ou fórcipe) ou à cesárea, normalmente ficam mais fracas e suportáveis com o passar dos dias e melhoram com analgésicos e anti-inflamatórios comuns.

Dores fortes ou persistentes não são normais, procure imediatamente seu ginecologista.

6 – A loquiação

A eliminação de sangue e secreções vaginais após o parto é chamada loquiação. Nos primeiros dias, a loquiação é sangue mesmo, que vai diminuindo de quantidade e ficando amarelada até desaparecer passadas 6 a 8 semanas do parto. A mulher que amamenta pode não menstruar.

7 – O sexo

Após 40 dias do parto, o sexo está liberado. No início, pode ser um pouco desconfortável, porque a vagina está menos lubrificada. Use um lubrificante do tipo K-Y Gel® ou Vagidrat®, caso necessário.

A amamentação exclusiva e de livre demanda funciona como método contraceptivo ao inibir a ovulação, porém, aconselha-se usar outro método associado. Leia mais sobre o assunto no artigo “A anticoncepção no puerpério”.

8 – As atividades físicas

Logo após o parto, respeitando o tempo de repouso no leito, assim que possível, procure sentar na cama e após alguns minutos, levante e caminhe pelo quarto. Se você sentir tontura ou mal-estar, volte para a cama e chame a enfermeira.

Se o seu parto foi cesárea, evite subir e descer escadas nos primeiros dias e não pegue peso ou não faça esforço físico por pelo menos 30 dias. Dirigir está liberado após 30 dias da cesárea.

Iniciar exercícios físicos para fortalecer a musculatura abdominal e recuperar a silhueta após 2 semanas, se o seu parto foi normal, ou após 6 semanas, se foi cesárea. Peça a permissão do seu ginecologista e comece fazendo os exercícios por poucos minutos, aumentando gradativamente, até no máximo 30 minutos por dia.

Faça os exercícios na seguinte posição e sequência:

Deite de costas, sem travesseiro, com as pernas juntas e esticadas, e os braços ao lado do corpo:

Exercício 1 (fig. 8) – Respire profundamente expandindo o peito e contraindo a barriga ao mesmo tempo. Repita o exercício 10 vezes.

8

Fig. 8

Exercício 2 (fig. 9) – Dobre a cabeça e toque o queixo no peito mantendo o resto do corpo relaxado. Repita o exercício 10 vezes.

9

Fig. 9

Exercício 3 (fig. 10) – Levante uma perna dobrando o joelho até encostar a coxa na barriga. Faça este exercício alternando as duas pernas. Repita o exercício 10 vezes com a perna direita e 10 vezes com a esquerda.

10

Fig. 10

Exercício 4 (fig. 11) – Levante uma perna sem dobrar o joelho até onde você conseguir, fique com a perna elevada por 10 segundos e abaixe-a lentamente. Faça este exercício alternando as duas pernas. Repita o exercício 10 vezes com a perna direita e 10 vezes com a esquerda.

11

Fig. 11

Exercício 5 (fig. 12) – Levante as duas pernas sem dobrar o joelho até onde você conseguir, fique com as pernas elevadas por 10 segundos e abaixe-as lentamente. Repita o exercício 10 vezes.

12

Fig. 12

Exercício 6 (fig. 13) – Cruze os braços sobre o peito, levante os ombros e as costas do chão sem mexer as pernas, fique assim por 10 segundos e abaixe. Repita o exercício 10 vezes.

13

Fig. 13

Exercício 7 (fig. 14) – Cruze os braços sobre o peito, levante o tronco até ficar sentada sem mexer as pernas, fique assim por 10 segundos e abaixe. Repita o exercício 10 vezes.

14

Fig. 14

Exercício 8 (fig. 15) – Com as mãos atrás da cabeça, levante o tronco até ficar sentada sem mexer as pernas, incline-se para a frente 3 vezes e abaixe. Repita o exercício 10 vezes.

15

Fig. 15

Exercício 9 (fig. 16) – Com as pernas um pouco afastadas e dobradas, os braços ao lado do corpo, levante as costas e o quadril do chão, fique assim por 10 segundos e abaixe. Repita o exercício 10 vezes.

16

Fig. 16

Exercício 10 (fig. 17) – Apoie-se nos cotovelos e joelhos mantendo as costas retas e contraia a barriga, conte até 10 e relaxe a barriga. Repita o exercício 10 vezes.

17

Fig. 17

9 – A cicatriz cirúrgica

Os pontos da episiotomia caem sozinhos. Faça a higiene local sempre que urinar ou evacuar. Para alívio do inchaço e da dor, faça compressas frias e aplique Andolba® no local, conforme orientação do seu ginecologista.

Se foi usado fio de nylon para fechar a cicatriz da cesárea, os pontos são retirados após 10 dias. Se a cicatriz foi fechada com pontos intradérmicos de fio absorvível, não é necessário retirar os pontos. Faça a higiene local apenas com água e sabonete antibacteriano (Protex®) e seque com uma toalha macia. Use secador de cabelos (ar frio) para secar as tirinhas de Steri-Strip® que são coladas sobre a cicatriz.

Se você tem tendência para a formação de cicatrizes grossas, alguns produtos para minimizar a cicatriz hipertrófica ou queloide são recomendados após a retirada dos pontos (Kelo-Cote®, Contractubex®, C-Kaderm®).

10 – Sinais e sintomas de alerta (!)

Procure imediatamente seu ginecologista se você apresentar:

(!) Febre (temperatura oral maior que 37,8ºC)
(!) Aparecimento de manchas vermelhas, dor e calor nas mamas ou na cicatriz da cesárea
(!) Saída de sangue ou pus pela episiotomia ou pela cicatriz da cesárea
(!) Sangramento vaginal em grande quantidade
(!) Saída de pus ou corrimento fétido pela vagina
(!) Dor vaginal ou abdominal persistente
(!) Dor para urinar ou evacuar
(!) Rachaduras nos mamilos

11 – A consulta pós-parto

A consulta pós-parto é realizada após 7 dias da alta da maternidade e serve para o ginecologista avaliar o seu estado físico geral, suas mamas, a cicatriz do parto, a loquiação, e orientá-la sobre amamentação, métodos contraceptivos, exercícios físicos e dieta, afim de assegurar uma recuperação pós-parto mais rápida e saudável.

 

Comentários bloqueados.